Páginas
Facebook
Categorias:

Dois jogos de múltiplos efeitos

Amanhã tem um grande jogo: Grêmio e Flamengo, pela Copa do Brasil, com direito a repeteco sábado, pelo Brasileirão. Vejo um leve favoritismo gremista porque os jogos serão na Arena. Mas os resultados sinalizarão bem mais, quanto ao futuro de ambos nas duas competições. O Fla não pode arriscar sua liderança, o Tricolor precisa impedir o adversário de se distanciar na tabela, a ponto de se tornar quase inalcançável. E nenhum deles aceita que se encaminhe a uma precoce eliminação na Copa.

Do inferno ao céu

Passionalidade? Sim, paixão é da essência do futebol. Campeonato difícil? Certamente, o Brasileirão é o mais disputado entre todos os de países tradicionais nesse esporte. Daí aconteceu de o Inter ter amargado a 12ª posição na quarta rodada, de ver a cabeça do técnico pedida por torcedores e sustentada pela diretoria. Hoje navega em águas tranquilas, mantém-se como o terceiro na classificação. Até quando? Tomara que até um final feliz, porque se não chegar a ele, começa tudo outra vez. Ah, o capítulo do inferno ao céu também serve para o caso Pottker.

Escolha sua opção

Brasileirão, Libertadores ou Copa do Brasil? Um o Grêmio não ganha há duas décadas, outra ele gosta de ganhar e o título leva longe, a terceira está distribuindo mais dinheiro do que as outras somadas. O que deve dificultar as decisões de Renato é que seu time tem potencial para ganhar qualquer delas – as três já seria coisa de outro mundo. Creio que entre torcedores vicejem teorias como: a) uma Liberta vale mais; b) precisamos de um Brasileirão; c) pela grana, Copa do Brasil; d) escalar sempre os melhores, se alguém estourar, azar. E você leitor, acha o quê?

D’Ale, com ou sem?

Oito dias para descansar, treinar e voltar, apenas na segunda-feira, à única competição quer ainda disputa no ano. Essa a programação do – por enquanto – sossegado Inter. No retorno terá o Galo, em BH, uma parada dura porque os dois disputam palmo a palmo posições no G-6 e precisam pontuar para se garantirem por ali. De qualquer forma, um doce dilema para Odair Hellmann: usar ou não D’Alessandro? O técnico parece ter acertado: D’Ale jogará quando for necessário, não sempre. Ou seja: um reserva de alto luxo para um time que finalmente parece estar acertado.

Pitacos

***De PC Vasconcellos, um oásis de sabedoria entre os comentaristas de futebol, no Sportv: “O passe é o bem mais precioso do futebol, não o drible”.
*** Douglas, bem-vindo de volta ao futebol. Classe e elegância com a bola nos pés, um meia-armador como ele são raridades no esporte.
*** Damião fez domingo o que se espera dele: um gol. Daqueles que qualquer um faria, ressalte-se.
*** A volta de Everton, Cortez e Léo Moura é um trunfo para o Grêmio, contra um Flamengo que chega forte à Arena. *** Placares elásticos de vários jogos do Brasileirão, de mim não escondem a necessidade do árbitro de vídeo. Passou a ser algo tão indispensável como o apito.

Deixe uma resposta para % s

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *