Páginas
Facebook
Categorias:

Bélgica ou França?

Essa de hoje pode ser a melhor partida da Copa até agora, com duas equipes recheadas de estrelas, vontade e motivação. Os franceses têm status de campeões mundiais, os belgas respondem com maior número de vitórias nos jogos entre ambos e com a melhor campanha na Rússia. Contra o Brasil seus craques realmente brilharam – a começar por Courtois, um goleiro espetacular –, mas a França despachou Argentina e Uruguai sem contestações, o que não é pouco. Não ouso apontar favorito.

Hexa? Não desse jeito

Se o craque do nosso time não é capaz de vencer uma boa marcação, se o centroavante não marca gols, se o goleiro não está entre os 10 melhores da Copa, o Brasil vai ganhar de quem? Ora, só mesmo de quem ganhou, ou seja, seleções de segunda linha. A euforia do pré-jogo – que me rendeu epítetos como secador, para citar o mais brando deles, apenas porque na coluna passada revelei ter medo da Bélgica – desmoronou com a patetada de Fernandinho e Gabriel e o reflexo tardio de Alisson, que ainda conseguiu levar o segundo gol em chute rasante, de fora da área.

Perfil de ídolo

Quem teve Zico, Ronaldo Fenômeno ou Romário como ídolos, sente certa dificuldade em erguer Neymar ao mesmo pedestal. Pelé, o maior de todos, tinha a grandeza de conceder entrevista ao mais humilde repórter de rádio. Agora, esse estigma de falsidade que pesa sobre Neymar é exagerado. Aliás, a um atacante ferozmente perseguido por faltas, saber cair é uma virtude – sem ironia. Encenação é outra história, tem potencial para arruinar a imagem mundial do craque brasileiro.

Paz, testes e preocupação

O Inter treina na paz de Atibaia. O Grêmio arriscou mais, foi enfrentar o Corinthians em sua luxuosa Arena. Mesmo com o adversário desmontado – dois titulares da defesa na seleção, outros dois negociados na véspera do jogo – valeu como preparação, apesar da derrota. Substituir Arthur não será fácil, mas o que mais preocupa é André, que chegou como solução e resulta em problema: está jogando pouco para a necessidade do Tricolor. E quando se constata que seu reserva é Jael… Bem, melhor rezar.

Copa é legal, mas…

Em oito dias teremos nosso futebol de volta, com rodada completa do Brasileirão. Não custa lembrar que o Grêmio terminou a etapa pré-Copa vergastado pelo excesso de jogos, enquanto o Inter se ia entrosando – e crescendo. Os tricolores perderam Arthur, o seu centroavante ainda não decolou e o calendário promete sufoco até setembro. Os colorados anseiam pelo fim da janela de transferências, enquanto D’Ale e Damião resfolegam na busca pela estabilidade física e clínica – jogaram pouco em 2018 e domingo ficaram fora do treino outra vez.

Pitacos

Mudar é claro que o grupo vai. Só não mexam com Tite. *** Talento, inteligência e disciplina tática, cravou um interlocutor do colunista no Shopping Moinhos. Uma combinação que a Bélgica teve e que faltou ao Brasil. *** Amanhã, Inglaterra e Croácia. Não me empolgam, aposto que a campeã sai do outro lado.

Deixe uma resposta para % s

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *