Páginas
Facebook
Categorias:

A maior decisão de Tite

O favoritismo do Brasil contra a Sérvia é tão sólido como foi o de seleções equivalentes nesta Copa. Ou seja: sujeito a chuva e trovoadas. Não se prevê vida fácil, mas o jogo de amanhã será o mais importante desde que Tite resgatou nossa seleção do abismo que a ameaçava nas eliminatórias. O empate serve, mas não basta para dar a moral que o time precisa. Qual time? Ora, falam em Renato Augusto no lugar de Paulinho, que não está rendendo o que pode. Mas prefiro deixar a mudança, se necessária, para o segundo tempo. De resto, a escalação é óbvia.

A dura vida de grandes seleções

Afora jogos em que Panamá, Tunísia e Arábia sofreram goleadas, até ontem os demais jogos apresentaram placares ajustados, com equilíbrio surpreendente entre seleções que, em tese, seriam muito desiguais. A dificuldade que Portugal e Espanha tiveram para livrarem-se da ameaça do Irã é um claro exemplo, assim como o sofrimento da favorita Alemanha em seus dois jogos. Mas nada supera o drama da Argentina, lanterna em seu grupo e precisando quase de um milagre para não sobrar em uma disputa contra – quem diria – Croácia, Nigéria e Islândia.

O valor dos acréscimos

Houve época em que se chamavam descontos e, quando começavam, o torcedor já saíra da cadeira em busca de um lanche, ou para ir embora, antes do apito final. Esta Copa do Mundo deixa uma lição muito clara: há que se aproveitar cada segundo, até a bola parar. Como no gol do Irã sobre Portugal, ontem, e no segundo da Alemanha, sábado. Que, aliás, poderia ser evitado: o goleiro sueco, enganado pelo primeiro toque de Kroos, deu meio passo à direita, a bola cheia de efeito foi à esquerda, o encobriu porque estava adiantado e ele não a alcançou porque tentou de mão trocada.

Em cinco continentes

Não é novidade cada país ter seu ídolo máximo. Como foram para nós Pelé, Romário, Ronaldo e outros. O bacana é ver nessa condição jogadores como Salah, estrela do Liverpool e do Egito – alguém aí já assistiu a jogos do campeonato egípcio? Pois acho gratificante o surgimento de craques em países sem tradição futebolística, acompanhar a evolução do nosso esporte predileto na Ásia, na África e até na Oceania – vale lembrar que a Austrália arrancou um empate da Dinamarca, com quem chega à última rodada desta fase disputando vaga.

Pitacos

O Uruguai parece que entrou no páreo: após convincentes 3 a 0 sobre a Rússia, promete passar por CR-7 e sua modesta equipe. *** O árbitro de vídeo tornou-se indispensável, apesar da contrariedade que desperta e de discutíveis interpretações de alguns lances. Com menos erros, o futebol fica melhor. *** Em meio às emoções da Copa, Inter e Grêmio estão de volta, após breves férias. Mais oportunas aos desgastados tricolores, nem tanto para os colorados, que começavam a embalar no Brasileirão. *** Falta-nos saber a destruição que a janela de verão causará nos elencos dos clubes brasileiros. A partir daí se pode conversar.

Deixe uma resposta para % s

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *